Uma das Sete Maravilhas do Mundo, Cristo Redentor completa 87 anos

História da estátua de estilo art déco teve início em 1859 com uma ideia do padre francês Pierre-Marie Boss.

Construído em pedra sabão com a montagem de milhares de triângulos, o Cristo Redentor tem 38 metros de altura, sendo oito de pedestal.

De braços abertos, o Cristo Redentor, abençoa a cidade do Rio de
Janeiro, do alto do Morro do Corcovado, no Parque Nacional da Tijuca,
desde 12 de outubro de 1931, dia em que o monumento foi inaugurado, pelo
presidente Getulio Vargas. De lá, até os dias atuais, a imagem se
transformou em um dos mais conhecidos pontos turistícos do mundo e foi
considerado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a
Ciência e a Cultura (Unesco) como Patrimônio da Humanidade. Em 2007,
foi declarado uma das Sete Maravilhas do Mundo. Nesta sexta-feira (12), o
monumento completa 87 anos.

Aniversário

A programação das comemorações começou ontem (11) com uma vigília de
oração e continua, nesta sexta-feira, às 8h, com a bênção, pelo reitor
do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar Raposo, com a imagem de Nossa
Senhora Aparecida. Das 9h às 18h, o projeto Ação de Amor do Cristo
Redentor, no Parque do Flamengo, próximo ao Marco Zero, vai
oferecer serviços de esporte, lazer, cultura, saúde, educação e
assistência. Às 18h30, o presidente Michel Temer participa da celebração
da Missa do Dia de Nossa Senhora Aparecida, no monumento no alto do
Corcovado.

Construção

A construção do monumento não foi fácil e levou muito tempo. A
história da estátua de estilo art déco teve início em 1859 com uma ideia
do padre francês Pierre-Marie Boss, capelão da Igreja do Colégio
Imaculada Conceição, de instalar um monumento religioso, no topo do
Corcovado, um morro com 710 metros de altura.

CristoRedentor

O local não foi consenso dentro da Igreja Católica. Uma corrente
preferia que fosse no Pão de Açúcar, outro cartão-postal do Rio. A
discordância foi resolvida por uma comissão em 1921 e, finalmente, no
ano seguinte, foi escolhido o projeto do engenheiro e construtor Heitor
da Silva Costa, que chamou o desenhista italiano Carlos Oswald, o
escultor francês de origem polonesa, Paul Landowski e o calculista
Albert Caquot para integrar a equipe. O escultor foi responsável pela
produção da cabeça e das mãos do Cristo, feitas na França e trazidas em
partes para o Brasil.

Os primeiros desenhos mostravam a imagem do Cristo carregando uma
cruz na mão esquerda. O traçado foi mudando até chegar a do Cristo de
braços abertos simbolizando uma cruz. A construção começou em 1926 e
consumiu 2.500 contos de réis, a maior parte arrecadada em contribuições
por meio de campanha lançada pela Igreja.

O monumento

Construído em pedra sabão com a montagem de milhares de triângulos, o
Cristo Redentor tem 38 metros de altura, sendo oito de pedestal. O
tamanho é equivalente a um edifício de 13 andares. O comprimento da
cabeça é de 3 metros e 75 centímetros, com peso de 30 toneladas. Cada
mão mede 3 metros e 20 centímetros, pesando 8 toneladas.

Reformas

A primeira reforma ocorreu em 1980 para a primeira visita do papa
João Paulo II ao Brasil. Dez anos depois, uma nova reforma, mais
complexa, demorou sete meses para ser concluída e consumiu US$ 2
milhões e foi patrocinada pela Rede Globo e a Shell. Em 2014, o
santuário passou por mais um restauro. Dessa vez, para recompor três
dedos da mão direita e detalhes na cabeça que foram atingidos por raios.