Mortes de mulheres por overdose aumentou 260% em 18 anos

Mortes de mulheres por overdose aumentou 260% em 18 anos
Handout via REUTERS- 12.12.2018

Janette Botto morreu de overdose pouco depois do Natal de 2016. Ela tinha 24 anos na época.

Pouco mais de dois anos depois, a Justiça da Virgínia condenou um responsável pela sua morte: o ex-namorado dela, Christopher Sorensen, um pequeno traficante de heroína.

A tragédia na família não ficou restrita à morte de Janette. Poucos meses depois, Teresa, sua mãe, que havia se mudado com a filha mais nova para outra cidade no intuito de proteger a garota da influência da irmã, não conseguiu suportar o luto e cometeu suicídio.

Sorensen, por sua vez, carrega agora a culpa pela morte por overdose de mais três garotas que se relacionaram com ele nos últimos três anos. Uma quinta vítima também sofreu overdose, mas foi ressuscitada no hospital.

O homem foi condenado a 22 anos de prisão por essas mortes.

“O monstro não é a heroína”, disse o juiz TS Ellis III durante a sentença. “O monstro são as pessoas que distribuem as drogas, principalmente para os jovens.”

A irmã de Janette, concorda com o juiz. Em entrevista ao jornal The Washington Post, Alexis Botto afirmou que “Chris é responsável por suas decisões de abater essas garotas e distribuir essas drogas. Mesmo que as drogas sejam um monstro, ele é igual a um por fazer o que fez”.

Para seu avogado, Adam Krischer, o traficante não tinha culpa. “Ele era um viciado que usava drogas e gostava de garotas e usava drogas com garotas”, afirmou.

“Eu provavelmente estaria morto se não estivesse encarcerado”, disse Sorensen durante seu julgamento. “Eu perdi muitos entes queridos. Eu nunca quis ferir minhas amigas.”

O caso de Sorensen é tratado nos EUA como um expoente da grave crise de saúde provocada pelo consumo de opióides, já considerado uma epidemia no país.

Como comenta a reportagem do Washington Post, se um pequeno traficante como Sorensen pode causar este impacto e provocar quatro mortes, a dimensão da epidemia é de fato gigantesca.

Mortes de mulheres por overdose aumenta

As ex-namoradas de Sorensen entraram para as estatísticas de mulheres que morreram por overdose nos EUA. Segundo o CDC, a Agência de Controle e Prevenção de Doenças do país, a morte por overdose de mulheres aumentou 260% nos últimos 18 anos.

Segundo o relatório, drogas como antidepressivos, benzodiazepina, cocaína, heroína, opioides receitados e opioides sintéticos foram os maiores responsáveis pelas mortes das mulheres.

Entre 1999 e 2017 foi registrado um aumento de mortes por overdose de 200% entre as mulheres de 35 a 39 e 45 a 49 anos, de 350% entre aquelas de 30 a 34 e 50 a 54 e de quase 500% entre as de 55 a 64.