Impressão artística de Oumuamua, primeiro objeto a entrar no Sistema Solar (Foto: European Southern Observatory)

 

Em outubro do ano passado, astrônomos do Pan-Starrs, projeto da Universidade do Havaí com o objetivo de mapear o céu em busca de objetos que possam entrar em colisão com a Terra, avistaram um objeto estranho. Com 800 metros de comprimento, largura dez vezes menor e superfície avermelhada, ele girava rapidamente, tinha uma trajetória caótica e um brilho que mudava de forma abrupta. Os cientistas deram a ele o nome de Oumuamua, que em havaiano quer dizer “mensageiro de muito longe que chega primeiro”.

As discussões sobre ele ficaram principalmente restritas ao universo científico, até esta terça-feira (6), quando pesquisadores da Universidade Harvard publicaram um estudo com uma tese de que Oumuamua seria uma sonda operacional enviada por uma civilização de outra galáxia. Isso mesmo: eles disseram que o objeto teria sido enviado por alienígenas.

O mundo, é claro, entrou em parafuso, e de repente todo mundo queria saber mais sobre o tal Oumuamua. Só no Brasil, as buscas no Google aumentaram mais de 1.550% em 24 horas e foi um dos cinco termos mais buscados no período. Eis as respostas para algumas das perguntas que os brasileiros fizeram ao oráculo da internet (e outras que gostaríamos de saber):

O que é Oumuamua?
Oumuamua não é um cometa, mas se comporta como um. Isso porque um cometa é um corpo celeste congelado que, quando aquecido pelo sol, desenvolve uma atmosfera e uma “cauda” de uma material volátil vaporizado. À primeira vista, os cientistas acharam que ele era um cometa, mas sem encontrar a tal da cauda, eles supuseram que se tratava de um asteróide. No entanto, sempre que acelera, uma cauda pode ocorrer, embora não seja visível dos telescópios.

Leia também:
+ Astrônomos detectam uma das estrelas mais antigas do Universo
+ Carro lançado por foguete em fevereiro já está além de Marte

O que significa Oumuamua?
Como explicamos acima, Oumuamua significa “mensageiro de muito longe que chega primeiro” em havaiano. E ele de fato veio de muito longe: por causa da alta velocidade (87,3 km/s), ele veio de fora do Sistema Solar.

Outro projeto artístico sobre Oumuamua (Foto: European Southern Observatory)

 

Onde está o Oumuamua?
Desde janeiro de 2018, o Oumuamua não é mais visível por telescópios, mesmo no espaço.

Que tamanho tem o Oumuamua?
Ele tem 800 metros de comprimento e largura pelo menos dez vezes menor. Embora seja impossível tirar uma foto de perto do Oumuamua, a variação drástica em seu brilho sugere que ele é alongado. Astrônomos afirmam nunca ter visto objeto tão grande no Sistema Solar antes. Estima-se que ele complete uma rotação completa a cada 7,3 horas.

Do que ele é feito?
Não se sabe ao certo. Cometas têm muita poeira, mas não é o caso do Oumuamua. Gases como monóxido de carbono e dióxido de carbono talvez estejam na composição, pois têm menos probabilidade de produzir uma cauda visível.

De onde ele veio?
Também não se sabe, embora seja certo de que ele ele não é do nosso sistema. Porque a sua velocidade é próxima da velocidade média de estrelas próximas às nossas, e porque a velocidade de estrelas mais jovens são mais estáveis que a das mais velhas, o Oumuamua pode ter vindo de um sistema jovem. Mas tudo não passa de uma suposição, e o objeto pode estar viajando pela galáxia por bilhões de anos.

Trajetória do Oumuamua no Sistema Solar (Foto: ESA)

 

E, afinal, é alienígena ou não?
No estudo publicado na revista Astrophysical Journal Letters, os astrônomos Shmuel Bialy e Abraham Loeb escrevem que “considerando uma origem artificial, uma possibilidade é a de que o Oumuamua seja um veleiro flutuando no espaço interestelar como um resíduo de um equipamento tecnológico avançado”. Para eles, a explicação para o excesso de aceleração do Oumuamua seria a de que ele é “empurrado” pela radiação solar, comparando-o às velas solares criadas por nossa própria civilização — como a IKAROS, primeira sonda interplanetária impulsionada por uma vela solar, lançada pelo Japão em 2010 com destino a Vênus.

A comunidade científica, porém, não está com os pesquisadores. Entre as críticas, está a de que se o objeto fosse de fato uma vela solar, seria mais fino do que de fato é. E, se fosse uma nave em funcionamento, teria trajetória mais suave.

A dúvida fica no ar, já que sem mais dados sobre Oumuamua fica difícil afirmar com certeza o que ele é (e quais eram suas intenções).

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app da Globo Mais para ver reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, por R$ 4,90 e baixar o app da GALILEU.