Atherton, na Califórnia, continua tendo os valores mais altos do país

Introduzido em 1963, os CEPs são usados ​​pelo Serviço Postal dos Estados Unidos (USPS) para designar pontos de entrega dentro do país. Com o tempo, os códigos postais tornaram-se parte do vocabulário cotidiano, transcendendo suas origens funcionais – o clímax disso ocorreu em 1990, quando a série de televisão “Beverly Hills, 90210″ estreou na Fox em outubro.

LEIA MAIS: Mansão em Washington está à venda por US$ 62,95 mi

Como os CEPs denotam pontos de entrega de correspondências, com o tempo eles passaram a coincidir com o desenvolvimento de mercados imobiliários. Portanto, tornam-se úteis no setor, já que podem ser usados ​​para dividir cidades e bairros em unidades menores de propriedade. Na primeira parte do estudo “Habitação 1998-2018: Uma Análise dos Mercados Destruídos pela Quebra do Setor”, foi examinada a cadeia de mercados imobiliários que causou danos irreparáveis ​​no setor da habitação em 2006-2007 e suas consequências. Além disso, estudou-se os códigos postais mais caros dos Estados Unidos no longo prazo, de junho de 1998 a junho de 2018.

Quando os mercados imobiliários mais caros há uma década e nos dias de hoje são comparados, são encontrados muitos nomes e códigos postais iguais. O CEP 94027, por exemplo, que cobre Atherton, na Califórnia, é o mais caro dos Estados Unidos, com um valor médio de mais de US$ 6,7 milhões, segundo o site “Zillow”. Há 20 anos, também reinava como o CEP mais caro, com um valor médio de mais de US $1,4 milhão (junho de 1998).

Assim como naquele ano, a Califórnia domina a lista dos 100 códigos postais mais caros atualmente, compartilhando alguns pontos com Nova York, Flórida, Washington e Nova Jersey. Nova York é o único outro estado que tem mais de dois CEPs na lista dos 100 mais caros.

Impulsionada pelos preços dos imóveis em Manhattan e em Long Island, Nova York pode gerar números comparáveis ​​aos da insanidade habitacional da Califórnia. O código postal 11975 (Wainscott) possui um valor médio de US $ 3,4 milhões, pouco menos do que o código postal 94305 (Stanford, Califórnia), que é de US$ 3,52 milhões.

Veja, na galeria de fotos a seguir, os 10 CEPs mais caros em 1998 e atualmente:

Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA
Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA

O post Os CEPs mais caros há uma década e hoje nos EUA apareceu primeiro em Forbes Brasil.