‘Não pode haver violência em divergências políticas’, diz Temer

Presidente disse que ‘logo depois da eleição, o Brasil estará reunificado’.

Michel Temer e a primeira-dama Marcela participam de missa que comemora o 87º aniversário da inauguraçãoo da estátua do Cristo Redentor.

SELO-ELEIÇÕES-2018-100O presidente Michel Temer afirmou nesta sexta-feira (12), que a divisão por conta de divergências políticas na sociedade brasileira durará apenas até as eleições, que terminarão com o segundo turno do próximo dia 28.  “A eleição é um momento político-eleitoral. Logo depois da eleição, vem o momento político-administrativo. No momento político-eleitoral, é natural que haja divergência. O que não pode haver é violência”, disse Temer, após participar de missa pelos 87 anos de inauguração da estátua do Cristo Redentor e pelo Dia de Nossa Senhora Aparecida.

Segundo Temer, “quando chegar o momento político-administrativo, logo depois da eleição, o Brasil estará reunificado”. Mais cedo, em fala ainda durante a missa, que teve rito informal, Temer disse que nada fraturará o Brasil. Segundo o presidente, era uma alusão à história da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida, que teria sido encontrada em partes, unificadas posteriormente.

Questionado se tem se divertido com o compartilhamento de memes na
internet que pedem que continue no cargo, diante do acirramento da
campanha eleitoral, Temer respondeu: “Sim, bastante”.

O presidente Temer esteve no Rio para acompanhar missa em
homenagem aos 87 anos de inauguração do Cristo Redentor e à Nossa
Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, cujo dia é celebrado hoje. O
Cristo foi inaugurado oficialmente em 12 de outubro de 1931, no alto do
Corcovado.

A missa foi celebrada pelo cardeal arcebispo do Rio, D. Orani
Tempesta, no Centro de Visitantes que dá apoio aos turistas que visitam o
Cristo Redentor. A presença de Temer, ao lado dos ministros do Meio
Ambiente, Edson Duarte, e de Minas e Energia, Moreira Franco, marcou
também a celebração de acordo com o ICMBio, órgão federal que administra
a área do Cristo, que permitirá à arquidiocese receber doações junto
com o ingresso para acesso ao ponto turístico. O objetivo é levantar
recursos para a manutenção da estátua. 

Inicialmente, a missa seria aos pés da estátua do Cristo, mas o
local foi mudado por causa do clima. O dia está chuvoso no Rio hoje.
Embora tenha saído sol em algumas regiões da cidade à tarde,  o Cristo
está encoberto por nuvens, dificultando a visibilidade no local.

A missa foi acompanhada por convidados. No salão onde foi instalado o altar, foram colocadas em torno de 70 cadeiras.