O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) abriu um inquérito civil público na quarta-feira (10) para investigar a startup BS Studios, responsável por desenvolver e publicar o jogo Bolsomito 2K18. No game, o personagem principal, representado por Jair Bolsonaro (PSL), ganha pontos e avança de fase ao matar petistas, mulheres e gays.

Bolsomito 2K18 / Steam

Na descrição de Bolsomito 2K18, que foi publicado no Steam, a BS Studios afirma que o game é “politicamente incorreto”, e o jogador poderá enfrentar “inimigos que pretendem instaurar uma ditadura ideológica criminosa no país”. Os desenhos dos inimigos fazem alusão a militantes LGBT, integrantes de movimentos sem-terra e feministas. Lançado no dia 5 de outubro, o jogo é vendido por R$ 9,99.

“Seu objetivo principal é acabar com os líderes do temido exército vermelho, responsável por alienar e doutrinar grande parte da nação, para que defendam e lutem por suas causas terríveis. No entanto, para chegar nos cabeças da organização, o Bolsomito deverá enfrentar diferentes grupos que tinham como missão defender o povo, mas hoje, nada mais são que marionetes do exército vermelho”, diz a descrição.

Bolsomito 2K18 / Steam

Na avaliação do promotor Frederico Meinberg Ceroy, o jogo “possui clara intenção de prejudicar candidato à Presidência da República e com isso embaraçar as eleições 2018”, além de causar “danos morais coletivos aos movimentos sociais, gays e feministas”. Ceroy lembra que o game foi lançado dois dias antes do primeiro turno das eleições brasileiras.

No inquérito civil público, o MPDFT pede que a Valve Corporation, dona do Steam, seja notificada para informar os dados cadastrais dos responsáveis pelo jogo e cesse a disponibilização de Bolsomito 2K18. Além disso, o Centro de Produção, Análise, Difusão e Segurança da Informação do MPDFT vai identificar e qualificar os responsáveis pela BS Studios.

MP investiga jogo em que Bolsonaro mata gays, negros e feministas