Moedas de ouro encontradas na véspera do Hannukah.  (Foto: Caesarea Development Corporation)

 

O Hanukkah começou no último dia dois de dezembro e, durante os oito dias da celebração tradicional judaica, um dos costumes é que as crianças saiam em busca do “gelt”, dinheiro em hebraico, representado por moedas de ouro.

Hoje as moedas têm sabor chocolate envoltas em papel alumínio dourado, mas era diferente no século 17: judeus poloneses começaram a entregar dinheiro para as crianças com objetivo de que entregassem para suas professoras. Com o tempo, as crianças passaram a embolsar a grana, e já no século 20 a indústria transformou a tradição em uma forma de vender chocolate.

Leia também:
Encontrado na costa de Israel o maior tesouro de moedas de ouro antigas
Tesouro do Império Romano é encontrado em cinema abandonado na Itália

Mas parece que os velhos tempos voltaram, pelo menos para os arqueólogos que trabalham nas ruínas da antiga cidade portuária de Cesareia Marítima, em Israel. Em um comunicado de imprensa emitido na primeira noite do Hanukkah, a Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA) anunciou que um pote de bronze contendo 24 moedas de ouro e um brinco de ouro foram descobertos.

"É simbólico que as moedas de ouro tenham sido descobertas na véspera do Hanukkah. Para nós, isso é certamente 'Hanukkah gelt'", disse Michael Karsenti, CEO da Caesarea Development Corporation, que participou da escavação.

Ruínas da antiga cidade portuária de Cesareia Marítima, em Israel. (Foto:  Israel Antiquities Authority)

 


As moedas datam do final do século 11, época da conquista da cidade pelas Cruzadas no ano de 1101, um dos mais dramáticos acontecimentos da história medieval da cidade.

“De acordo com fontes escritas contemporâneas, a maioria dos habitantes de Cesaréia foi massacrada pelo exército de Baldwin I (1100-1118), rei do Reino Cruzado de Jerusalém”, explicam os pesquisadores Peter Gendelman e Mohammed Hatar, da IAA. “É razoável supor que o dono do tesouro e sua família morreram no massacre ou foram vendidos como escravos e, portanto, não puderam recuperar seu ouro."

Entre os séculos II e XI, Cesaréia era governada por bizantinos e depois por califados árabes. A região retornou ao controle cristão quando os cruzados germânicos apoiados pelo papa, liderados por Baldwin I, atacaram em 1101. Pesquisadores estimam que o pote cheio de moedas estava escondido antes dessa tomada dramática. Os trabalhadores da escavação em curso no que hoje é o Parque Nacional de Cesareia o encontraram no poço de uma casa que foi construída por volta do ano 1000.

Moedas encontradas nas ruínas da antiga cidade portuária de Cesareia Marítima, em Israel. (Foto: Caesarea Development Corporation)

 


Dezoito das moedas são dinares fatímidas, conhecidas por terem sido a moeda local da época, e seis são raras moedas de ouro imperiais bizantinas cunhadas por volta de 1071-1079.

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app Globo Mais para ler reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, a partir de R$ 4,90, e ter acesso às nossas edições.