Governo brasileiro quer diálogo entre Venezuela e Guiana

Em nota, Itamaraty pede solução pacífica e segurança na região.

O Ministério das Relações Exteriores divulgou nota neste sábado (12)
onde reitera “compromisso” do governo brasileiro “de favorecer a
solução pacífica da controvérsia territorial entre a Venezuela e a
Guiana”.

O “diferendo Venezuela-Guiana” é em torno de uma área de fronteira. A
controvérsia existe há um século, mas foi reacendida por causa da
exploração de petróleo no litoral da Guiana.

O governo Nicolás Maduro acusou a Guiana de violar a soberania da
Venezuela após a incursão de dois navios contratados pela companhia
transnacional ExxonMobil.

“Dada à flagrante violação de nossa soberania por navios de
exploração de petróleo contratados pela Guiana, a Marinha Bolivariana
começou a aplicar os protocolos pertinentes, com rigor e estrita adesão a
acordos e tratados internacionais”, disse o chanceler venezuelano,
Jorge Arreaza.

O Itamaraty condicionou sua contribuição ao desfecho da crise
política na Venezuela. “O Governo brasileiro estará pronto a contribuir
junto à Venezuela para um diálogo frutífero com a Guiana, e vice-versa,
quando haja um governo legítimo em funcionamento em Caracas”.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores afirma que o governo
brasileiro “reitera, ademais, seu apoio à decisão do Presidente da
Assembleia Nacional [Juan Guaidó] legítima da Venezuela de assumir
constitucionalmente a Presidência da Venezuela”.

Em sua conta pessoal no Twitter, o chanceler Ernesto Araújo afirmou
que “finalmente há esperança de democracia na Venezuela”. Segundo o
ministro, “o Brasil, sob o comando do Presidente Bolsonaro, está
trabalhando incansavelmente para influenciar a dinâmica da região em
favor da liberdade.”