As Ilhas Feroe, localizadas no território anexado da Dinamarca, entre a Escócia e a Islândia, é um arquipélago formado por 18 ilhas de diversos tamanhos, onde aproximadamente 47 mil habitantes e muitas ovelhas vivem. Na menor de todas elas, a humanamente desabitada Lítla Dímun, é comum avistarmos sempre uma nuvem pairando sobre o local.

A nuvem lenticular, como é chamado esse formação, estaciona-se sobre o pico de Lítla Dímun. No entanto, às vezes, ela também cobre a parte mais baixa da ilha, e pode até mesmo chegar ao mar gelado, quase cobrindo toda a ilha.

Lítla Dímun e sua nuvem de estimação

Esse tipo de nuvem isolada se forma na troposfera, camada mais baixa da atmosfera terrestre. Seus contornos são bem definidos, muitas vezes se parecendo com o formato do fogo ou de lentes. Algumas pessoas dizem que tal formato muito se parece com o de naves espaciais. O que já causou algumas confusões por aí.

Elas costumam “aparecer” nos picos de montanhas, em morros e até mesmo sobre altos edifícios ou pontes que estejam obstruindo o fluxo de ar. Normalmente, elas costumam se formar no inverno, no lado mais protegido do vento pelas montanhas e morros.

Pilotos de aeronaves são orientados a não voarem próximos a este tipo de nuvens pois elas podem causar turbulências severas, devido a movimentação do ar que as formam.

O acesso à ilha não é muito fácil. Geralmente, para escalar as falésias é necessário utilizar cordas deixadas por fazendeiros que visitam a ilha para alimentar e cuidar de suas ovelhas. Por isso, muitas pessoas preferem admirá-la das aldeias próximo de onde ela fica, seja Hvalba ou Sandvík, na ilha de Suðuroy.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Essa matéria Essa ilha chama atenção por sempre estar cercada por uma nuvem, entenda o porquê foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.