Erika Januza no Altas Horas (Foto: Reprodução/Globo)
Erika Januza no Altas Horas (Foto: Reprodução/Globo)

Uma das atrizes da nova geração da Globo, Erika Januza esteve na noite deste sábado, 12 de janeiro, no Altas Horas da Globo e entre outros assuntos tratados acabou falando sobre a questão do preconceito.  A bela contou que alisava os cabelos para se sentir bem com as exigências impostas pela sociedade.

+Ex-BBB Natália Prada muda de vida, vira evangélica e chora ao lembrar ensaio nu

“Meu cabelo foi alisado durante 28 anos. Tenho 33. Hoje entendo que era uma forma de me proteger atrás de alguma coisa, que eu não sabia o que era. Descobri quando me encontrei como mulher negra. Porque parece que você precisa desse momento para entender: peraí, é o meu cabelo, é a minha essência, é minha raiz literalmente, é me aceitar como sou”, disse ela.

+Bárbara Borges explica sua luta diária contra o vício no álcool: “Bebia para desestressar”

Erika Januza aproveitou ainda para explicar como superou a baixa autoestima: “Meu cabelo não tem que ser bonito pra ninguém. Não tenho que mudar pra ficar bonita. Posso sim querer usar hoje liso, outro dia fazer trança, mas minha essência é o cabelo crespo. E não posso me esconder atrás de uma química pra ser uma pessoa melhor, mas por muito tempo me escondi atrás disso”.

+Audiência extraordinária de jogo na Band fortalece ideia de retorno do futebol à grade

Ela contou ainda sobre as ofensas raciais que sofreu quando estava participando da Dança dos Famosos. “Desde o início do ‘Dança’, eu recebi um primeiro e-mail bem longo. Foi um misto de raiva e tristeza. Chorei e apaguei. E começaram e chegar outros. Mas aí eu não apaguei. Guardei tudo. Me chamaram de tudo que você pode imaginar. Eram críticas a minha cor, a minha performance… Peguei tudo e levei para a polícia”, contou.

A atriz Erika Januza (Foto: Divulgação)
A atriz Erika Januza (Foto: Divulgação)