Djokovic não joga desde a desistência durante torneio de Wimbledon (Foto: Glyn KIRK/AFP)

Campeão de doze Grand Slams, Novak Djokovic tem muitos motivos para se orgulhar no tênis, desde título a conquistas pessoais. No entanto, as fortes dores no cotovelo continuam sendo um difícil empecilho para o retorno do tenistas que anunciou que devido aos problemas físicos não conseguirá ter condições para disputar o torneio de Doha, primeiro ATP 250 da temporada.

“Infelizmente a situação do meu cotovelo não evoluiu nada desde ontem, ainda sinto dor. Por isso eu terei que desistir do ATP de Doha, que foi escolhido o melhor 250 da temporada passada”, afirmou Djokovic, que não atua uma partida profissional desde sua desistência nas quartas de final de Wimbledon contra o tcheco Tomás Berdych.

O ex-número um aproveitou para ressaltar o carinho dos fãs e lamentou não poder atuar em 2018 no torneio.”Sinto muito não poder competir em frente aos meus fãs em Doha, tenho ótimas recordações deste torneio e das partidas que disputei lá, como a final contra Andy (Murray) no ano passado. A atmosfera do estádio é sempre incrível e a organização está no mais alto nível possível. Com certeza vou sentir falta”

“Depois de consultar os meus médicos, decidimos que o melhor é continuar fazendo a fisioterapia e os tratamentos no cotovelo. Somente quando estiver 100% fisicamente é que vou retornar ao circuito. Espero que seja o mais breve possível e quero contar com a compreensão e a paciência de todos”, concluiu o sérvio.

Campeão de todos os Grand Slams ao menos uma vez, Djokovic teve uma temporada de 2015 espetacular e no ano seguinte continuou sendo o principal tenista do circuito. No entanto, seu desempenho caiu drasticamente em 2017 e teve que se retirar das competições para tratar do problema no cotovelo e para reformular sua equipe e objetivos na carreira.

O post Dores continuam e Djokovic desiste do ATP 250 de Doha apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.