Suspeito atirou bombas de fumaça antes de abrir fogo

Suspeito atirou bombas de fumaça antes de abrir fogo
Nick Steinwender/via REUTERS/08.11.2018

“Nós escutamos as pessoas gritarem ‘corram!'”. É este o relato da estudante Erika Sigman, de 19 anos, sobre o momento em que um homem abriu fogo em um bar de música ao vivo na cidade de Thousand Oaks, no estado americano da Califórnia, na noite desta quarta-feira (7).

Erika falou aos repórteres que esperavam na frente do local após o incidente, que deixou pelo menos 11 mortos, segundo a polícia. Um deles é um agente policial. O número deve aumentar, já que muitas vítimas se dirigiram a hospitais da região sem contatar a polícia.

Assim como outras testemunhas, a estudante Erika e seu grupo de amigos fugiram pela janela do bar Borderline Bar & Grill em direção ao estacionamento. Outros se jogaram no chão durante os disparos. 

Erika Sigman, de 19 anos, relatou momentos de desespero

Erika Sigman, de 19 anos, relatou momentos de desespero
Reprodução REUTERS/08.11.2018

O incidente ocorreu por volta 23h20 do horário local (5h20 da quinta-feira, 8, no horário de Brasília). O Borderline Bar & Grill sedia eventos de música country e, de acordo com a mídia local, reunia alguns estudantes da Universidade Luterana da Califórnia na noite de quinta-feira. 

Segundo relatos de outros jovens que estavam no bar, o suspeito, vestindo roupas pretas, atirou bombas de fumaça dentro do estabelecimento antes de abrir fogo — o que dificultou a visão no momento dos disparos. Pelo menos 30 tiros foram disparados com o que as testemunhas descrevem como uma pistola semiautomática. 

Um dos chefes da polícia local, Garo Kuredjian, disse a repórteres que acredita que o suspeito tenha sido morto pelos agentes dentro da boate. Os oficiais pedem que a população evite a área. 

O FBI — polícia federal americana — participa das investigações no local. Thousand Oaks é uma cidade com cerca de 130 mil habitantes e fica a aproximadamente 60 km de Los Angeles.