CV não estaria contente com a "pilantragem" de Quiñonez

CV não estaria contente com a “pilantragem” de Quiñonez
Adrian Bogado/Wikimedia Commons

Membros da facção brasileira Comando Vermelho ameaçaram a procuradora-geral do Paraguai, Sandra Quiñonez, em um vídeo divulgado na internet.

No vídeo, cinco homens mascarados e fortemente armados seguram uma foto de Quiñonez e afirmam que irão atrás dela, pois não estão contentes com a “pilantragem” que ela está fazendo com o sistema.

Segundo a imprensa paraguaia, um carro-bomba que seria utilizado em atentado contra a procuradora foi apreendido no leste do país.

Brasileiro preso confessou ser do CV

Na última terça-feira (6), o carioca Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, conhecido como Marcelo Piloto e apontado como um dos maiores traficantes de armas e drogas da América Latina, concedeu uma entrevista coletiva, no Paraguai, onde está preso.

Ele teria ligação com o planejamento do atentado, segundo a polícia paraguaia.

Piloto se irritou quando foi chamado de terrorista, mas confessou que matou um cidadão paraguaio e subornou autoridades do país vizinho para receber proteção policial durante suas viagens para comprar armas.

O suspeito ainda confirmou integrar a facção.

As autoridades paraguaias e brasileiras disseram que a confissão de Piloto é apenas para evitar a extradição para o Brasil.

O Comando Vermelho tinha o controle das transações internacionais de armas e drogas na região, até o final da década de 1990. Quando o PCC e o CV romperam, a facção paulistana passou a dominar o tráfico que vinha do Paraguai para o Brasil.