Ceará contabiliza 353 presos por atos criminosos

No 12º dia de ataques, foram transferidos 39 chefes de grupos criminosos para presídios federais.

Policiais da Força Nacional de Segurança reforçam o patrulhamento nas ruas de Fortaleza, após onda de ataques no Ceará.

Aumentou para 353 o número de suspeitos presos ou apreendidos por
participação nos atos criminosos no Ceará. De acordo com a Secretaria
Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o balanço corresponde às
capturas até as 17 horas desse domingo (13).

“As prisões e apreensões registradas na capital, região metropolitana
e cidades do interior são oriundas de ações das forças de segurança
cearenses, e entidades parceiras, que atuam incessantemente para
garantir tranquilidade a todos os cidadãos cearenses e a normalidade no
funcionamento dos serviços públicos”.

Até ontem, 12º dia seguido de ataques, foram transferidos 39 chefes
de grupos criminosos para presídios federais. A polícia localizou e
apreendeu cinco toneladas de explosivos em um depósito clandestino.

Leis sancionadas

Na noite desse domingo (13) foi registrado mais um ataque criminoso,
em Fortaleza. O alvo foi uma ponte na Rua São João, no bairro
Bonsucesso. Desconhecidos que estavam em carro lançaram uma bomba contra
a estrutura de concreto. O local chegou a ser isolado para polícia.

Também ontem, o governador do Ceará, Camilo Santana, sancionou as
novas leis contra o crime organizado. As medidas foram aprovadas pela
Assembleia Legislativa, em sessão extraordinária realizada sábado (12).

De acordo com o governo do estado, as leis já foram publicadas e
visam reforçar o combate ao ataques organizados por facções criminosas
no estado desde o dia 2 de janeiro.

O governo listou as medidas que passam a valer imediatamente:

– convocação de policiais militares e bombeiros militares da reserva;

– aumento da quantidade de horas extras para policiais, bombeiros e agentes penitenciários de 48h para 84h mensais;

– pagamento em dinheiro para quem fornecer informações à polícia que resultem na prisão de criminosos ou evitem ataques;

– criação do Fundo de Segurança Pública e Defesa Social

– criação do Banco de informações sobre veículos desmontados;

– regras de restrição ao uso do entorno dos presídios do estado para prevenir fugas e garantir mais segurança;

– autorização de convênios e parceria com União e estados para a cessão de policiais ao Ceará.