TV Foco

Carioca deve assinar com o Multishow. (Foto: Divulgação)

O Pânico na Band chegou ao fim, mas alguns talentos que fazem parte do elenco da atração não terão suas vidas profissionais interrompidas. É o caso do Carioca, que agrega valor a seu nome e deverá ganhar um programa na televisão paga.

De acordo com o jornalista Flávio Ricco, é muito grande a possibilidade de seu novo trabalho na TV ser anunciado já no mês de janeiro, já que se trata de um artista bastante querido no mercado.

A novidade, entre os programas que estão sendo negociados para Carioca, seria a presença de Bruno Lawrence, ex-comentarista da Fox Sports, trabalhando ao lado de Carioca.

SAIBA COMO DEVE SER O PROGRAMA

A Band exibe neste domingo, 31, o último programa Pânico. A parceria entre o canal e a atração foi encerrada após alguns anos. O humorístico não estava rendendo boa audiência mais e apenas dava prejuízo financeiro.

Nova temporada de Exathlon Brasil é incerteza na Band

De acordo com informações do jornalista Fernando Oliveira, o humorista Márvio Lúcio, o Carioca, é um dos poucos que deve permanecer como contrato da emissora paulista para 2018. A ideia é contar com ele em um programa solo.

Querem explorá-lo ao máximo, com entrevistas em estúdio com famosos e muita interação nas ruas com anônimos e usando das imitações, diversas, de Carioca. A intenção é bater o martelo sobre tudo isso em janeiro e organizar a estreia para março.

HUMORISTA FALA SOBRE FIM DO PÂNICO

O mundo da televisão foi surpreendido no último mês com a notícia de que a Band não produzirá mais o “Pânico”, programa que fez bastante sucesso no século passado na RedeTV! mas que foi adquirido pela Band na tentativa de alavancar a audiência dos domingos.

O humorista Márvio Lúcio, que ficou conhecido na atração como o Carioca, confirmou o fim do programa em entrevista à revista VEJA. Ele contou, inclusive, até quando o “Pânico” ficará no ar, e qual foi a reação da equipe ao receber a notícia do cancelamento.

Fomos informados de que estaremos na Band só até dezembro. É claro que ficamos tristes. Há cerca de 100 pessoas que trabalham lá. Só eu, tenho 21 anos de programa no rádio e catorze de TV. Mas o grupo não vai acabar: continua no rádio e pode ir para outra emissora”, revelou.

 O humorista acredita que a atração comandada por Emílio Surita deve ser considerada um marco na televisão brasileira por ter revolucionado o humor, especialmente pelo fato da TV na época ser “extremamente careta”.

A Globo exibia a novela Celebridade e vivíamos um tempo em que era proibido criticar celebridade.  O Pânico confundiu. Dávamos 18 pontos na RedeTV. Tem noção? Uma nova geração de humoristas surgiu como nunca se viu no país”, completou.

Carioca pode trabalhar com ex-comentarista esportivo na TV paga