Bolsonaro diz que aceita realizar debate com Haddad, com condições

Candidato do PSL disse que está pronto para debater ‘sem a interferência externa’.

Bolsonaro disse que está preocupado com supostas “falhas” ocorridas no primeiro turno das eleições.

SELO-ELEIÇÕES-2018-100O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse
neste sábado (13), que concorda em ir a debates “sem interferência
externa”, referindo-se à suposta influência do ex-presidente Luiz Inácio
Lula da Silva na campanha de Fernando Haddad (PT). Ele afirmou ainda
que num governo Haddad quem escolheria os ministros seria Lula.

“Se for debate só eu e ele (Haddad), sem interferência externa (de
Lula), eu topo comparecer. Estou pronto para debater; tem de ser sem
participação de terceiros”, disse, em meio a uma gravação de programas
eleitoral na casa do empresário Paulo Marinho, no Jardim botânico,
bairro da zona sul do Rio.

“(Se Haddad vencer), quem vai escalar time de ministros será o Lula. Não
adianta (ele) ter boas propostas se vai ter indicação política”,
continuou. “O mais importante é ter independência para escalar um time
de ministros componentes.”

Ao ser questionado sobre projetos para a saúde, Bolsonaro declarou que o
mais importante para que a população tenha saúde é que tenha, antes de
tudo, emprego. Disse ainda que é preciso “combater a corrupção para
aplicar os recursos” e que o ministro da pasta tem que ter “amor” pela
área.

Perguntado sobre sua maior preocupação neste segundo turno, afirmou
serem as supostas “falhas” ocorridas no primeiro turno no processo
eleitoral. “Teve uma enxurrada de reclamações. O Tribunal Superior
Eleitoral tem que tomar providências”.