Milhares de argentinos de organizações sociais, sindicatos e grupos políticos tomaram as ruas de Buenos Aires para protestar contra as políticas econômicas do governo do presidente Mauricio Macri

Fogões a lenha para cozinhar sopão foram montados ao longo de avenidas como a do dia 9 de julho, para denunciar a situação de pobreza em que milhões de argentinos se encontram

Os manifestantes também exigem indenização por demissões, bem como maiores medidas sociais, informou a mídia local

A Argentina tentou na semana passada fechar um novo acordo com o Fundo Monetário Internacional e buscou nos EUA. apoio para garantir a aprovação do conselho do FMI

Na terça-feira (11), o banco central disse que manterá sua taxa básica de juros em 60% até pelo menos dezembro

A moeda perdeu quase 51% de seu valor este ano. O próximo grande teste para a Argentina será a aprovação da lei orçamentária do governo para 2019

A proposta inclui cortes impopulares de gastos destinados a reduzir o déficit primário para zero no ano que vem