Homem ingeriu componente do Viagra conhecido como sildenafila (Foto: Pixabay)

Já diz o ditado: a diferença entre o veneno e o remédio está na dose. Um estudo médico publicado nesta semana relata a história de um paciente norte-americano que sofreu graves problemas na visão após ingerir um frasco inteiro de sildenafila, componente ativo do Viagra — medicamento indicado para quem sofre de disfunção erétil. O remédio estava em sua versão líquida e o homem bebeu cerca de 30 ml da substância, cerca de 10 vezes o valor indicado. 

De acordo com o relatório divulgado nesta semana no periódico médico JAMA Ophtalmology, o norte-americano logo começou a sentir um desconforto em seus olhos e se dirigiu a um hospital na cidade de Boston. Os médicos constataram que ele estava sofrendo de extrema sensibilidade à luz, além de apresentar cegueira noturna. Outro fato curioso foi que o paciente relatou que ele estava enxergando as coisas como se houvesse um anel no centro de sua visão. 

Ao realizar exames, os especialistas em Oftalmologia do centro médico constataram que o homem tinha uma ruptura da retina em ambos os olhos. Como a sildenafila age na dilatação dos vasos sanguineos (o que possibilita uma ereção), a ingestão exagerada da substância fez com que houvesse uma dilatação intensa e rápida nos vasos localizados nos olhos, causando os danos. 

O homem, que não teve seu nome revelado e tinha cerca de 50 anos de idade, afirmou que a sensibilidade à luz passou com o tempo, mas a "visão de anel" permaneceu após dias da ingestão da sildenafila. Como o paciente não retornou ao hospital em que foi tratado, os médicos  não sabem se os danos serão permanentes. 

Leia também:
+ Mulher não consegue ouvir homens devido à rara condição médica
+ Mulher não entende letra de médico e usa creme para ereção nos olhos

No ano passado, um caso semelhante também foi relatado em um artigo científico. Um norte-americano de 31 anos tomou uma dose muito superior à recomendada de Viagra e deu entrada no hospital afirmando que sua visão aparentava estar com um "filtro vermelho", o que impedia a observação das demais cores de maneira normal. Após um ano, sua visão não voltou ao normal, indicando um dano irreversível.

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app Globo Mais para ler reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, a partir de R$ 4,90, e ter acesso às nossas edições.