O Google publicou uma nota nesta segunda-feira (12) sobre uma atualização do projeto Android Things, que é focado em dispositivos para a internet das coisas. A maior mudança é que a plataforma está menor e, basicamente, estará presente apenas em caixas de som e telas inteligentes.

Lenovo Smart Display: um concorrente para o Amazon Echo Show com Android Things

Este tipo de produto já é um onde o Google trabalha, como é o caso da linha de falantes Google Home e das telas que utilizam o Assistente. Mesmo com um banho de água fria na expectativa das pessoas sobre Android em praticamente qualquer eletrônico, o Google afirmou que ainda oferecerá suporte para criações que utilizem como base o Raspberry Pi 3B ou o NXP i.MX7D.

O gigante das buscas diz que pessoas ou empresas podem utilizar até 100 dispositivos com o SDK do Android Things, sem a necessidade de licença comercial – que não será mais emitida pela empresa.

A mudança já está em vigor e encerra a premissa de ter uma área do Android voltada apenas para rodar aparelhos conectados e que são os que vão realmente tirar proveito das redes 5G, que ainda não estão presentes em praticamente nenhum lugar do planeta. Este pode ser um dos pontos que fez o Google frear o desenvolvimento do Android Things, já que a mudança de planos não tem uma justificativa oficial.

Com informações: Android.

Android Things não vai mais estar em tantas coisas assim