Ana Paula Padrão (Foto: Reprodução/ UOL)
Ana Paula Padrão (Foto: Reprodução/ UOL)

A jornalista Ana Paula Padrão, que faz sucesso como apresentadora do Masterchef na Band, revelou que sofreu preconceito por ser mulher no passado.

Em entrevista ao UOL, publicada através de vídeo hoje (08), ela falou sobre o assunto. “Naquele momento, anos 80, tudo que a gente mulher queria era comprar nosso espaço no mundo profissional. A gente queria trabalhar como homens, ter a oportunidade que eles tinham, a gente queria ser reconhecida pelo talento, e não pela fofura, pela tranquilidade, pelo jeitinho, pelo sorriso, mas pelo talento!”, relatou.

+ Reprise de Cordel Encantado dá mais audiência que novela das seis; confira os consolidados de quarta-feira (06/02/19)

Ana Paula Padrão (Foto: Divulgação)
Ana Paula Padrão (Foto: Divulgação)

+ Tiago Abravanel pode deixar a Globo e ganhar programa no SBT em março, afirma jornalista

+ Acusada de racismo e preconceito, irmã de Paula explica situação da sister no BBB19: “Infelizmente estão na sociedade”

+ Prova pela liderança do BBB19 vira piada e público aponta mensagem subliminar sexual

Em um determinado momento, por exemplo, quando aconteceu um acidente aéreo, eu falei: ‘Puxa vida, eu gostaria de ir’. E uma chefe minha mulher disse assim: ‘Acho que você é um pouco frágil para essa cobertura’. Parece preconceito hoje, mas na época eu não entendi que ela estava dizendo isso pra mim porque eu era pequena, muito clarinha, muito frágil e era mulher”, revelou.

Eu entendi isso como a escolha de um repórter por outras qualidades, como se dissesse: ‘Vamos mandar um homem, porque ele vai aguentar mais tempo, sem reclamar’. Hoje eu vejo que era sim preconceituoso, talvez eu tenha passado por outras situações que eu não vi o preconceito, porque ele não estava óbvio, a gente não falava disso. Eu sou uma mulher que representa uma jornalista nos anos 80”, completou.

Ana Paula Padrão (Foto: Reprodução/ SBT)
Ana Paula Padrão (Foto: Reprodução/ SBT)

Além disso, ela contou um caso quando estava reunida com jornalistas em um jantar, a maioria homem, e disse que queria cobrir a guerra no Afeganistão. No momento, todos ficaram mudos e um deles ridicularizou a apresentadora e disse que uma mulher não poderia fazer esse tipo de reportagem.

Na hora me deu uma vergonha, eu pensei: ‘Nossa, estou pagando o maior mico aqui né. Estou querendo fazer uma coisa que é impossível’. Eu me senti humilhada, me senti envergonhada, fiquei com vergonha de ter esse tipo de expectativa. Mas isso durou, sei lá, 10 segundos. Porque imediatamente depois me deu uma raiva. Eu falei: ‘Eles vão engolir. Eu vou entrar lá, vou fazer um monte de matérias e vou sair de lá em segurança com essas matérias no ar. E foi isso que aconteceu”, explicou.