Africanos dominam e vencem São Silvestre; brasileiros chegam em oitavo

Entre as mulheres, queniana Sandrafelis Tuei garantiu a vitória.

Corrida criada pelo jornalista Cásper Líbero tem esse nome em homenagem ao Santo Silvestre, que morreu no dia 31 de dezembro.

A 94ª edição da São Silvestre foi novamente dominada pelos estrangeiros.
Assim como nos últimos anos, os africanos se destacaram na corrida ao
puxar o pelotão desde o início e ganhar a prova. Entre as mulheres, a
queniana Sandrafelis Tuei garantiu a vitória depois de assumir a
liderança no quilômetro final do trajeto. Já no masculino, quem ganhou
foi o etíope Belay Bezabh

Os brasileiros novamente não conseguiram fazer frente aos estrangeiros.
Sem vencer no masculino desde 2010 e no feminino desde 2006, o País
repetiu ano passado, ao não colocar representantes entre os cinco
primeiros colocados. A melhor brasileira da competição feminina foi
Jenifer Nascimento, oitavo lugar, e no masculino, o destaque foi Giovani
dos Santos, também oitavo colocado.

A elite masculina largou às 9h07 com um pelotão na liderança nos
quilômetros finais. Um grupo de 15 corredores permaneceu reunido até o
primeiro terço da prova. Maxwell Rotich, de Uganda, é quem puxava a
fila, dominada por africanos do Quênia e da Etiópia. O brasileiro
Giovani dos Santos era o único representante nacional que fez frente aos
estrangeiros nesse inicio de corrida.

Aos poucos, o pelotão de líderes que era de 15 corredores, acabou por
diminuir. Na metade final dos 15 km, o grupo ficou restrito a seis
competidores e restaram somente dois nos quilômetros finais, a subida da
Avenida Brigadeiro Luís Antonio. O bicampeão Dawit Admasu, etíope
naturalizado barenita, e Belay Bezabh, também da Etiópia, disputaram a
prova até o final.

Belay-Bezabh-H

Favorito, Admasu não conseguiu manter o ritmo forte e deixou escapar o
tricampeonato. Bezabh conseguiu acelerar na reta final, após passar
quilômetros lado a lado com o concorrente, e cruzou a linha da chegada
com o tempo de 45min5s. Admasu foi o segundo e o terceiro posto ficou
com o Amdework Tadese, também da Etiópia.

Feminino

A prova feminina teve um desfecho emocionante. A queniana Pauline Kamulu
disparou desde os primeiros metros e só foi perder a posição no
quilômetro final. A atleta, que completou 24 anos neste domingo (30), dominou
a corrida durante a maior parte, inclusive com uma grande vantagem,
porém sentiu o ritmo forte durante a subida da Avenida Brigadeiro Luís
Antônio, quando perdeu lugar para a compatriota Sandrafelis Tuei, de 20
anos.

Sandrafelis passou a adversária no fim, a cerca de 900 metros da linha
de chegada, e impôs um ritmo forte para sustentar a vitória. O tempo da
vencedora foi de 50min2s. A terceira posição ficou com a etíope Mestawut
Truneh.

O resultado fez o Quênia ampliar a liderança no ranking de
vitórias na edição feminina. Já são 13 triunfos, ante cinco do Brasil. A
melhor brasileira foi Jenifer Nascimento, na oitava posição.

Resultado do feminino

1º lugar – Sandrafelis Tuei (Quênia)

2º lugar – Pauline Kamulu (Quênia)

3º lugar – Mestawut Truneh (Etiópia)

8º lugar – Jenifer Nascimento (Brasil)

Resultado do masculino

1º lugar – Belay Bezabh (Etiópia)

2º lugar – Dawitt Admasu (Bahrein)

3º lugar – Amdework Tadese (Etiópia)

8º lugar – Giovani dos Santos (Brasil)