Entre os anos de 1995 e 1996, a TV Tokyo transmitiu um dos animes responsáveis por influenciar as próximas gerações. Neon Genesis Evangelion foi dirigida por Hideaki Anno a partir dos mangás homônimos. A série é ambienta em um futuro distópico, no qual a sociedade precisou se adaptar à nova realidade após um cataclismo global. No cenário pós-apocalíptico, a humanidade ainda precisa lidar com frequentes ataques de seres alienígenas conhecidos apenas como Anjos.

Para tentar combater a ameaça, NERV, uma organização paramilitar, desenvolveu uma biomáquina gigante chamada de Evangelion, ou apenas EVA. No entanto, é necessária uma pessoa para pilotá-la, alguém compatível com seu sistema. A inspiração do anime ultrapassou as fronteiras do oriente e chegou a Hollywood. Evangelion nunca teve versão live action, porém, o cinema viu em Círculo de Fogo, como a história e sua ambientação poderiam ficar. Recentemente, a Netflix anunciou que a série completa chegará em seu catálogo no próximo ano. Por isso, separamos algumas razões para você aproveitar a estreia. Evangelion possui um total de 26 episódios e dois filmes.

1 – História

O tópico pode até parecer óbvio, porém, de fato, a história de Evangelion é seu ponto mais forte. A premissa não se difere de tantas outras encontradas por aí. Um jovem garoto está destinado a salvar o mundo e, para isso, ele precisa aceitar sua jornada. No entanto, o encanto está em como ele e tantos outros personagens abraçam seu dever. Em poucos episódios, o anime apresenta uma mitologia complexa com motivos bastante reais. Dentre lutas e responsabilidades de salvar o mundo, os principais personagens, ainda na adolescência, precisam lidar com problemas como depressão e autodescoberta.

2 – Robôs gigantes e lutas incríveis

Para combater a perigosa e misteriosa raça alienígena conhecida com Anjos, a empresa NERV criou uma espécie de robô gigante, os chamados Unidades Evangelion, ou simplesmente EVAs. Embora sejam parte máquinas, cada uma delas possui uma conexão orgânica única com um humano, no caso, os adolescentes compatíveis. As maiores cenas de ação do anime acontecem quando esses dois lados se encontram. Para proteger a humanidade, Tóquio sobrevive no subsolo, liberando as brigas. A animação nessa parte é incrível para a época e nenhum dos lados poupa brutalidade na hora da luta.

3 – Traços de horror

O começo da série é marcado pela constante presença de tanto dos Anjos quanto dos EVAs. Embora a raça alienígena tenha designes que beiram o bizarro e provoquem várias sensações de desconforto, as próprias unidades evangelion são um terror à parte. Porém, o horror aqui está mais ligado ao psicológico, pois as ações desses seres gigantes são, por vezes, perturbadoras.

4 – Sutil exploração da sexualidade

No geral, os animes têm a fama de sempre sexualizar as mulheres e retratar o sexo de forma grotesca. E não estamos falando sobre os hentais. A fama existe, mas não são todas as produções que contêm tais materiais. Evangelion possui conteúdo de teor sexual, contudo, ele é explorado de outra forma. Há nudez durante os episódios e algumas tantas cenas desconfortáveis. Embora os momentos sejam sugestivos, não há nada explícito. Pelo contrário, muitas vezes, o nu é representado de forma cômica e não-sexual. Mesmo assim, a história consegue abordar o início da sexualidade na vida desses adolescentes desordenados.

5 – Não tem medo de arriscar

Sem dúvidas, uma das maiores qualidades da série foi não ter medo de arriscar, em especial no roteiro. Apesar de parecer ter uma história simples, Evangelion aprofunda em sua mitologia e leva todos os personagens junto. O anime não é tão comercial quanto Naruto e companhia, por exemplo. Na época, conquistou certo público e ganhou mais destaque com os anos. Ao assistir Evagelion, precisamos de tempo para digerir o que foi apresentado e revelado. Isso faz dele um anime para consumir aos poucos e não maratonar. A história evolui ao seu tempo e cada episódio tem sua relevância para o arco central.

6 – Os personagens

Entre os adolescentes, os principais são Shinji Ikari, Rei Ayanami e Asuka Soryu. Os três se diferem em absolutamente tudo. Shinji pode ser o personagem mais odiado de início, sendo Asuka a mais identificável por ser cheia de alegria e determinação, enquanto Rei é um tanto quanto misterioso. Essas impressões, no entanto, são bem superficiais para descrever essas três figuras. Dor, sofrimento e solidão fazem parte do ponto em comum entre eles, e cada um escolhe a melhor forma de lidar com elas. Quanto mais a série avança, mais conhecemos os motivos e segredos por trás do comportamento e da complexidade dos protagonistas.

7 – Monstro da semana

Podemos dizer que Evangelion possui o status de anime cult e, talvez, isso possa se afastar de parte do público interessado. Mas não há nada o que temer, embora tenha lá suas peculiaridades. Mesmo assim, no começo, a história não abriu mão da famosa fórmula “monstro da semana”. Ou seja, a princípio, o público pode aproveitar as diversas cenas de batalha, sangue e muita ação ao mesmo tempo em que acompanha o desenvolvimento da história. Quando perceber, o interesse já foi semeado.

Essa matéria 7 razões pelas quais todo mundo deveria ver Evangelion foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.