Sabe quando você perde o BV? O beijo não é assim tão maravilhoso e pode até ser meio molhado e confuso. É a mesma coisa que acontece quando você perde a virgindade. A coisa também pode ser meio molhada e confusa. Experiências novas levam tempo para se tornarem incríveis. Apostamos que hoje, com a prática, beijar é bem mais gostoso! A mesma coisa acontece com o sexo. Se a primeira transa deixar a desejar, não se preocupe. Com o tempo, você vai aprendendo truques que tornam o momento mais especial. Afinal, nem todo mundo já saiu dando mordidinhas logo no primeiro beijo, né?

<em>Cena do filme A Primeira Vez. A realidade, muitas vezes, é isso aí: calça, All Star e certa confusão.</em>Reprodução

1. A primeira transa não é cinematográfica
Inclusive, se você sangrar, pode ser mais um lance American Horror Story mesmo. Tudo bem, talvez não seja para tanto. Nós só idealizamos demais o momento e nos baseamos em filmes fofinhos, em que tudo se encaixa de primeira (literalmente!). Pode não ser bem assim. O longa A Primeira Vez, protagonizado por Dylan O’Brien e Britt Robertson, é bem sincero e legal de assistir antes. Fica a dica!

2. A penetração pode não acontecer de primeira
Ela geralmente nunca ocorre, na verdade. Além de rolarem alguns estímulos com os dedos, poder ser que o menino e você precisem tentar duas, três, quatro vezes até finalmente acontecer. Pode até rolar uma pausa no meio da transa, para vocês se recuperarem. É normal, viu? Não pense que está dando tudo errado.

3. Você pode não sangrar, mas também pode sangrar por vários dias
Algumas meninas não têm nenhuma espécie de sangramento após a penetração. Outras, contudo, sangram bastante, como se tivessem menstruado. Não estranhe caso você precise inclusive usar absorvente nos dias seguintes à primeira vez, para evitar que as calcinhas fiquem sujas. Mas tem que ser um corrimento leve que diminui com os dias. “Dependendo do tamanho do pênis e da resistência do hímen, pode acontecer de rolar um sangramento durante a segunda ou a terceira transa também”, esclarece a ginecologista especialista em sexualidade Mariana Maldonado. Se perceber que o sangramento continua forte e frequente, procure um médico.

4. Talvez você sinta uma leve ardência ao fazer xixi
É sempre aconselhável urinar após o sexo, pois, de acordo com o ginecologista José Bento, do programa Bem Estar, a prática diminui o risco de infecção urinária. Mas não se desespere caso não sinta vontade na hora, tá? O primeiro xixi após a primeira transa poder ser um pouco ardido, e essa ardência pode durar mais uns dois ou três dias. A Dra. Nicole Geovana, especialista em Medicina de Família e Comunidade, explica que a fricção que ocorre durante a penetração pode causar esse desconforto. Se ele persistir por mais de uma semana, há algo errado.

Reprodução

5. Vai rolar uma dor muscular
Não tem jeito! Por mais ativa que você seja, vai sentir algum incômodo nas pernas, no bumbum, na virilha e/ou em algumas partes da vagina. Na hora da penetração, a dor é bastante relativa. Então, não dá para explicar detalhadamente o que você vai sentir – ou se vai sentir alguma coisa. Na verdade, pode até ser que o menino tenha um orgasmo, tire o pênis da sua vagina e você ainda esteja esperando senti-lo entrar. Faz parte e a sensação varia de pessoa para pessoa.

6. Tudo bem se você não sentir prazer
Não é que você tenha que se contentar com pouco ou que deva sentir-se diferente por ter chegado lá de primeira. Mas uma série de razões não deixam a primeira transa assim tão deliciosa: insegurança, medo do novo, ansiedade, dor… Não vai ser ruim. Só não vai ser tão gostoso quanto será nas próximas tentativas. Na real? Pode ser que você nem sinta grandes coisas. “Até o negócio ficar mais gostoso e menos mecânico, demora. É prática e um estudo de corpo”, afirma a ginecologista Débora Pádua, que completa dizendo que, no começo da vida sexual, raramente as coisas são extremamente deliciosas a dois – e a masturbação pode até causar mais prazer.

7. Aparência é o que menos importa
O medo da dor nem é o que mais atormenta algumas meninas. Elas, na verdade, estão encanadas com o corpo. Estrias, celulites, pelos, machinhas, foliculite… Pode acreditar que essas questões são muito mais assustadoras na nossa cabeça.Todo mundo está sujeito à isso e, na hora, ninguém vai notar. Nem você nem o parceiro.

8. Os homens ficam bastante tempo excitados
Parece até engraçado falar uma coisa dessas, mas muitas meninas acham que se a penetração não rolar de primeira, pronto, o pênis deixa de ficar ereto e acabou. Não é bem assim. Pode ficar tranquila e fazer as coisas com calma, viu? Muita afobação só atrapalha.

Reprodução

9. Embaixo é mais garantido
Como falamos anteriormente, a penetração pode não ser assim tão simples. Por isso, é importante que você e o parceiro fiquem calmos, principalmente se for a primeira vez de ambos. A pressão é sentida dos dois lados, lembre-se disso! De acordo com a pesquisa Mosaico Brasil 2.0, realizada pela psiquiatra Carmita Abdo, a posição em que o homem fica embaixo é a mais confortável para as mulheres, o que pode ser bacana para te proporcionar mais comodidade durante a primeira vez.

10. Só faça se sentir-se preparada
Parece o conselho mais clichê que alguém pode dar, mas é verdadeiro. Você vai sentir quando estiver pronta. Com os pés no chão, você vai enxergar as coisas por um lado muito mais realista, sem medo do que vai pensar ou sentir no dia seguinte. Não precisa ser com o seu namorado ou com aquela pessoa pela qual é completamente apaixonada. Mas tem que ser com alguém que te trate bem. É o mínimo. De resto, a escolha é sua. Você sabe quando, onde, como e com quem. Conversar com as amigas ajuda (e muito!), mas você dá a cartada final.

11. Camisinha é indispensável
“A camisinha, quando usada corretamente, tem eficácia de cerca de 98%. Ou seja, você pode e deve confiar nela”, afirma a ginecologista especialista em sexualidade Mariana Maldonado. Além disso, o preservativo é o único método 100% eficaz contra doenças sexualmente transmissíveis, de candidíase ao vírus HIV. Ou seja, ela é indispensável, mesmo que você já esteja fazendo uso de outro método contraceptivo. Nada de cair nessas histórias de que é impossível engravidar de primeira. É possível, sim!