sábado, 25 de Março de 2017
Uma nova estrela pode aparecer no céu em 2022

Uma nova estrela pode aparecer no céu em 2022

estUma enorme colisão entre duas estrelas a cerca de 1.800 anos-luz de distância poderia ter criado um novo objeto brilhante no nosso céu noturno, de acordo com cientistas. Porém, a estrela só será visível por dois ou três anos.

 

É a primeira vez que especialistas preveem uma explosão cósmica como essa. Eles dizem que há apenas uma chance em um milhão de prever uma estrela antes que ela realmente apareça. O astrônomo Larry Molnar e sua equipe da Calvin College, em Michigan, estão olhando mais atentamente para uma estrela binária chamada KIC 9832227, que são, na verdade, duas estrelas que orbitam entre si.

 

Estamos lidando com um binário de contato, em que ambas as estrelas compartilham partes de uma mesma atmosfera. Os pesquisadores acreditam que as estrelas estão ficando mais próximas e poderiam colidir em 2022.

A forma do sistema binário KIC 9832227

Esse tipo de fusão é o que é chamado de uma nova vermelha. A explosão resultante poderia causar um aumento de 10.000 vezes no brilho – o suficiente para que seja visível da Terra por algum tempo. Se a previsão estiver correta, pela primeira vez na história, as pessoas poderão apontar para uma mancha escura no céu e dizer: Olhe, há uma estrela escondida ali, mas logo vai se acender”, explicaram os pesquisadores.

 

A história começou em 2008 com V1309 Scorpii, outra estrela binária que causou uma nova vermelha. Embora o incidente não tenha sido previsto, observações mostraram o período orbital entre as duas estrelas individuais caindo mais de pressa à medida que a colisão se aproximava.

 

Molnar e seus colegas descobriram o mesmo padrão na CCI 9832227 em 2013 e 2014, e que ele permaneceu ao longo de 2016. Isso significa que o tempo necessário para as estrelas se chocarem está passando. “[…] realmente consideramos que nossa hipótese de fusão das estrelas deva ser levada a sério agora, e deveremos usar os próximos anos para estudar profundamente, pois, se ela explodir, saberemos o que levou a isso”, diz Molnar.

 

A equipe está monitorando a estrela por rádio, infravermelho e emissões de raios X, usando uma variedade de instrumentos, incluindo o observatório no Novo México, o Infrared Telescope Facility do Havaí, e a nave espacial XMM-Newton, em órbita em torno da Terra. Segundo os especialistas, nós poderemos ver a explosão na parte norte da constelação de Cygnus em 2022. Será necessário um telescópio.

Lembre-se de que tecnicamente a colisão – que talvez possamos testemunhar – aconteceu há um longo tempo, e que a luz que estaremos vendo terá 1.800 anos de idade. “Ninguém conseguiu prever o nascimento de uma estrela antes”, disse Robert Massey, do Royal Astronomical Society, não envolvido no estudo. “Acho que haverá uma corrida entre astrônomos amadores e membros do público para detectá-lo primeiro.”

 

As descobertas estão disponíveis on-line. A pesquisa também está sendo usada como base para um futuro documentário chamado Luminous, e você pode assistir ao trailer abaixo:

[ Science Alert ] [ Fotos: Reprodução / Science Alert ]