O nome é bem estranho, mas a translucência nucal não é nenhum bicho de sete cabeças e o procedimento é muito simples. Geralmente solicitado ao final do primeiro trimestre de gestação, o exame não é obrigatório, mas pode ser pedido pelos médicos como meio de detectar possíveis alterações no feto.

Apesar do nome diferente, a translucência é feita através do ultrassom abdominal comum e não necessita de nenhum procedimento especial. O exame tem esse nome porque serve para verificar a quantidade de líquido existente na nuca do feto, o que pode indicar possíveis alterações cromossômicas – como a síndrome de Down, por exemplo.

Há casos específicos em que o médico não consegue fazer o diagnóstico através da ultrassonografia abdominal e pode ser necessário realizar uma ultrassonografia transvaginal. Se o médico constatar alguma alteração, exames complementares podem ser solicitados também.

Vale lembrar que o exame não é obrigatório, mas é indicado para que os pais possam se preparar melhor para a chegada do bebê, caso ele tenha alguma necessidade especial. Converse com o seu obstetra sobre a translucência e tire suas dúvidas.

Acesse a Rede Credenciada Vale Saúde para encontrar o médico mais próximo de você e marcar a sua consulta.