Pesquisa Certus/Nominuto indicará intenção de votos para Prefeitura de Parnamirim

Segunda rodada do estudo será publicado nesta segunda-feira.

Uma nova pesquisa eleitoral será divulgada nesta segunda-feira (29) pelo portal Nominuto.com. O estudo, encomendado junto ao instituto Certus, é o segundo de intenção de votos direcionado a cidade de Parnamirim, na Grande Natal.

Na primeira análise, a pesquisa Certus/Nominuto, divulgada no dia 10 de agosto, apontou Rosano Taveira com 20,65% das intenções de voto, seguido por Ricardo Gurgel (PSB) com 10,70%, e por Carlos Augusto (PSD) com 9,45% das preferências. Tita Holanda (PSOL) aparece em quarto lugar com 1,99% das citações. Nenhuma das opções somou 36,07%, e os que não souberam responder totalizaram 21,14%.

Dezenove dias após a divulgação da primeira pesquisa, o segundo estudo encomendado pelo Nominuto.com pode refletir uma tendência. Para o diretor do instituto Certus, Mardoni França, a sequência de pesquisas é fundamental.

“As pesquisas são repetidas com intuito de delinear uma tendência. Mas, nem sempre o resultado de um estudo fica parecido com o de outro feito algum tempo depois. A constância na realização dessas análises é importantíssima para que os candidatos tracem estratégias de campanha, assim como é importante para os eleitores, que ficam informados sobre a atual situação de intenção de votos”, destaca.

Diferente de outros anos, o diretor da Certus revelou que houve uma queda significativa em encomendas de pesquisas. 

“Muitas pesquisas são encomendadas também pelos candidatos. Às vezes eles nem as divulgam, mas encomendam o estudo para ter boas informações para traçar estratégias de campanha. As últimas mudanças na legislação eleitoral fez com que essa demanda caísse cerca de 50%. De certa forma, o número mais reduzido de pesquisas reflete nas estratégias dos candidatos”, comenta.

Ainda de acordo com Mardoni França, a pesquisa eleitoral está situada numa modalidade quantitativa, na qual consiste na preparação de uma amostra representativa dentro do universo total de eleitores daquele colégio eleitoral.

Sobre a realização dos estudos, Mardoni disse que a apuração dos dados em campo é o que gera maior preocupação aos institutos. “Tudo pode ir por água abaixo se não houver um trabalho de campo bem acompanhado e controlado. Qualquer erro neste momento pode gerar distorção dos resultados finais”, conclui.