Não conte para os hermanos, mas se eles quiserem invadir as Falklands de novo, a Inglaterra não vai poder fazer nada. Estão passando penúria para manter as forças armadas funcionando, e nunca estiveram tão ruins em meios navais. Eles não têm nenhum porta-aviões operacional.

Para cobrir essa lacuna estão construindo dois porta-aviões classe Queen Elizabeth, o HMS Queen Elizabeth e o HMS Prince of Wales. O primeiro só vai entrar em estado operacional inicial em 2018, mas já fez um primeiro cruzeiro de teste.

Movido por propulsão convencional, vai levar uma tripulação de 1.600, e carregar até 50 aeronaves. É a jóia da coroa da marinha da coroa, e é considerado estratégico. Ou deveria, mas não foi o que aconteceu.

O navio de 70 mil toneladas e US$ 4 bilhões estava atracado em Invergordon, Escócia, e um desocupado resolveu dar uma espiada, usando um drone. É um porta-aviões, será que ele conseguiria chegar perto sem ser derrubado ou identificado? Quão perto ele conseguiria chegar? Eis a resposta:

Inacreditável: sujeito pousou um drone sem ser detectado no mais avançado porta-aviões da Inglaterra

Isso mesmo. Os cornos pousaram um drone no CONVÉS do HMS Queen Elizabeth, e ninguém viu. De dia. Mas calma que piora.

O grupo responsável, o Black Isle Images, prefere permanecer anônimo mas o autor do vídeo disse que depois que fez as imagens ficou preocupado, afinal alguém poderia pousar um drone com meio-quilo de explosivo plástico no porta-aviões.

Ele foi até a base, tentou falar com o Oficial de Dia ou o Capitão do navio, mas foi informado pelos guardas que todo mundo estava fora da base, jantando. Ninguém deu muita atenção à situação.

Bem, parabéns aos envolvidos. Depois não reclamem.

Aqui o incrível vídeo dos sujeitos:


Black Isle Images

Fonte: Russia Today.

The post Inacreditável: sujeito pousou um drone sem ser detectado no mais avançado porta-aviões da Inglaterra appeared first on Meio Bit.