Galo dos Perturbados aposta na infraestrutura para fazer melhor carnaval da zona Leste

Um palco medindo seis metros de comprimento por seis metros de largura e um metro de altura será montado na Cidade Alta.

Com a proximidade do Carnaval Multicultural 2016, o Galo dos Perturbados já bate asas e canta forte para alertar os foliões que na Terça-feira Gorda, dia 9, vai ter folia nas ruas da Cidade Alta, que irão tremer pelo sexto ano consecutivo com o bloco mais animado da zona Leste. Em 2016, a aposta é investir na infraestrutura que garantirá uma festa tranquila para cerca de quatro mil foliões, dois mil a mais que no ano passado.

Um palco medindo seis metros de comprimento por seis metros de largura e um metro de altura será montado na rua Padre Pinto para abrigar as bandas Performance e Nova Sensação, que vão animar os foliões após o percurso do bloco pelas principais artérias da Cidade Alta. Outra novidade é um pórtico que será erguido na lateral da Igreja do Galo para delimitar o terreiro do Galo. A história do bloco também será mostrada em um telão, com fotos dos anos anteriores.

Banheiros químicos, iluminação, grades e seguranças também ganharão novos números. “Estamos criando uma estrutura para fazer um Carnaval diferenciado”, disse Naldo de Oliveira.

A Prefeitura de Natal, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) e da Fundação Cultural Capitania das Artes (Funcarte), também dará aquela força para o bloco, disponibilizando uma banda de frevo com, no mínimo, 40 músicos. Além disso, o Galo contará com quatro bonecos gigantes, sendo um deles o próprio Galo, como também o do ex-Rei Momo Paulo Maux, e um estandarte. A concentração iniciará às 16 horas no largo da rua Padre Pinto, em frente ao 1º Distrito Policial. A saída está marcada para às 17 horas. O percurso pelas ruas da Cidade Alta deve durar cerca de duas horas. No retorno do Galo, as bandas contratadas entrarão em ação. Como fazem todos os anos, o prefeito Carlos Eduardo, o secretário de Cultura, Dácio Galvão, o Rei e a Rainha do Carnaval Multicultural 2016 também confirmaram presença no Galo dos Perturbados.

Para o cofundador do Galo dos Perturbados, Waltenir Ramos da Silva, o Gordo, a maioria dos foliões é da Cidade Alta, mas a expectativa é de que mais pessoas de outros bairros da cidade juntem-se ao Galo. Inclusive, 60 foliões de Lagoa Nova já confirmaram presença no terreiro da rua Expedicionário Rodoval Cabral. “Estamos perseguindo o objetivo de nos tornarmos conhecidos. Fazemos uma festa para toda a família. Isso é muito gratificante”, declarou Waltenir da Silva. Ele também aposta no “esquenta” do sábado (6), quando parte dos integrantes do Galo cantarão marchinhas carnavalescas a plenos pulmões, no bar do Naldo, ao som da banda Performance.

Neste ano, o Galo homenageará os Jogos Olímpicos Rio 2016 na camiseta. Para isso, foram confeccionados 550 abadás para atender a alta procura. Selecionado no edital do Fundo de Incentivo à Cultura, da Prefeitura de Natal, o Galo dos Perturbados também resgatará todos os carnavais do passado, em um evento fora de época ainda no primeiro semestre de 2016, sempre com o objetivo de cantar mais alto em seu próprio terreiro na Cidade Alta.

Histórico
O Galo dos Perturbados surgiu informalmente, quando um grupo de cerca de 50 amigos se reuniu em 2011, na praça João Tibúrcio, para comemorar o carnaval com cerveja e um carro de som. Em 2012, o número de foliões dobrou. A turma contratou o cantor Tony Pan para animar a festa. A folia foi tanta que perturbou os ouvidos de uma moradora das proximidades, que chamou a Polícia Militar para reprimir a festa. Mas a PM nada verificou de anormal. Por causa da denúncia de perturbação da ordem pública, os integrantes da fuzarca apelidaram o bloco de Galo dos Perturbados.

Já em 2013, o bloco tomou uma grande proporção, puxado por uma banda de frevo composta por 14 músicos, arrastando 500 foliões. Naquele ano, recebeu a visita do prefeito Carlos Eduardo, do presidente da Fundação Cultural Capitania das Artes (Funcarte), Dácio Galvão, e do coordenador da Funcarte, Gilberto Cabral, que garantiram apoio ao bloco. A agremiação saiu na terça-feira de carnaval, do Bar do Naldo, passando pela praça André de Albuquerque, Prefeitura de Natal, Beco da Lama, rua Vigário Bartolomeu, rua Apodi, rua Santo Antônio e rua Expedicionário Rodoval Cabral, retornando para o Bar do Naldo. Ainda em 2013, o bloco recebeu a adesão do produtor cultural e músico, Pedro Abech, que passou a fazer parte da diretoria.

Em 2015, o Galo dos Perturbados cresceu ainda mais, com a contratação de 26 músicos para animar cerca de 1200 foliões. Houve também a entrada em cena de um boneco gigante em forma de galináceo, que homenageou a Copa do Mundo. No ano passado, o Galo homenageou o ex-Rei Momo de Natal, Paulo Maux, com um boneco gigante, e arrastou dois mil foliões pelas vias do centro da cidade. “Estamos correndo atrás, pois queremos resgatar o carnaval da Cidade Alta e crescer culturalmente, agregando o maior número de pessoas possível”, disse Waltenir da Silva.