Para quem não vive na cidade, Brasília pode ser uma ilustre desconhecida. Apesar de ser a capital do país, a imagem da cidade é quase sempre associada apenas aos prédios governamentais e à arquitetura monumental de Oscar Niemeyer.

Se o visitante vem de coração aberto, pode descobrir que o Plano Piloto e as redondezas tem mais charme do que sugere à primeira vista.

Na semana em que a cidade completa 56 anos, listamos 26 lugares para visitar ou coisas para fazer que provam que existe, sim, vida além da Esplanada e do Congresso na capital.

 

1. O dia começa com um café da manhã (com coxinha) na Rodoviária do Plano Piloto

2. Depois, aventure-se na travessia do Eixo Monumental

 

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada
 

3. Ou uma opção um pouco mais segura: o slackline no laguinho próximo ao estacionamento 10 do Parque da Cidade

 
Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

 

 

 

4. Se o dia estiver quente e ensolarado (o que é bem provável), curta um mergulho no Parque Nacional de Brasília, vulgo Água Mineral

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada
 

5. Ou no Calçadão da Asa Norte

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada
 

 

6. Ou então um programa mais tranquilo, relaxante e favorável, como uma pescaria no Parque Vivencial do Lago Norte

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

 

7. A Asa Norte tem ainda a UnB, com seus fotogênicos corredores listrados 

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

 

 

8. No caminho, não deixe de conferir uma das marcas registradas da cidade: as obras da construtora do ex-governador Paulo Octávio, preso (e solto) em 2014 por suspeita de participação em um esquema de corrupção de agentes públicos para concessão de alvará. Esse empreendimento presta homenagem ao pintor Mondrian

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

 

 

9. Se estiver de bike, a ciclofaixa pode reservar encontros inusitados

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

10. Mas se estiver a pé, tem poesia e graffiti nas passagens subterrâneas que cruzam o Eixão

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada
Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada
 

11. A avenida W3 Sul também é um prato cheio pra quem gosta de arte de rua

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

Este mural fica nas costas do Espaço Cultural Renato Russo (que está fechado desde janeiro de 2014), na altura da quadra 508, na Asa Sul

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

Pra ficar mais à vontade, dá até para fazer o rolê descalço

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

12. Pausa para um cigarrinho na saída de uma das estações de metrô com azulejos modernistas de Alexandre Mancini, discípulo de Athos Bulcão

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

13. As estações de metrô da Asa Sul também servem de atalho para cruzar o Eixão. Mas cuidado com as plantas carnívoras

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada
 

14. Tem mais arte contemporânea das paredes do bar Pauliceia, na quadra 113 da Asa Sul, famoso pela tradicional picanha

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

15. Se tempo e dinheiro estiverem curtos, as centenas de espetinho espalhados pela cidade podem ser uma opção gastronômica

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

 

16. De volta ao centro do "avião", a praça do Cruzeiro pode ser uma boa para encontrar os amigos (com direito à vista para a estátua do JK)

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

17. Na Torre de TV, dá pra curtir um jazz no pôr do sol. Além da vista de 360º da cidade que tem lá de cima, claro.

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

18. Se estiver com sorte, o pôr do sol pode ser flagrado com cores diferentes no parque de diversões no Parque da Cidade.

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada
 

 

Aliás, o parque é cenário de muito amor (mas não para todos)

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

19. Por falar em amor, a vista para Esplanada dos Ministérios é cenário de romance, também, na amurada que fica sobre a Rodoviária do Plano Piloto

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

 

 

20. Saindo um pouco dos eixos, o Quartel General do Exército, em frente à praça dos Cristais, é um dos pontos favoritos para ensaios fotográficos de gestantes, casais e debutantes

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

 

21. Ali perto, no Cruzeiro, os bares da colorida Feira Permanente do bairro são ponto de encontro da comunidade

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

22. Do outro lado da rodovia EPIA, fica a Feira dos Importados, meca das compras para quem procura qualquer coisa

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

23. Dali, dá pra ir andando até o Ceasa, o centro de distribuição de alimentos da cidade. Aos sábados, tem a Feira do Produtor, pra quem quer comprar direto de quem planta

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

24. E pra quem tá no rolê com as crianças, não dá pra perder o parquinho com jeitão futurista do Centro Cultural Banco do Brasil

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada

26. Ou um dos parquinhos old school do Parque da Cidade, que apesar de detonados, também são garantia de diversão

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada
 

 
 

 

 

26. E para quem caiu de amores pela capital, não pode falta a selfie em frente ao letreiro que declara seu amor à cidade

Brasília 56 anos: 26 sinais de vida além da Esplanada